VÁRIOS
30 E 31 JAN

Estar Em Casa

Comissariado por Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio
Vários locais do Teatro
Sábado e Domingo, todo o dia

Sinopse

30 E 31 JAN
EVENTO

Estar Em Casa
Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio
Sábado e Domingo – Todo o Dia
Vários Locais do Teatro
M/12
bilhetes à venda
nota: 
Não há reservas para nenhuma actividade de entrada livre
Estar em Casa é um evento concebido por Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio para a ‘okupação' do São Luiz, a casa do país com mais dourados na sala! Durante o último fim-de-semana do primeiro mês do ano, o teatro abre as portas e entrega as chaves a uma programação ininterrupta, enaltecendo esse espaço que é habitado durante tanto tempo e a todas as horas por todos nós. Feitas as contas ao fim de uma vida, muito tempo foi passado neste sítio (que afinal não é um ‘não-sítio’, mas uma habitação cheia de histórias). 
Sala, cozinha, casas-de-banho, salões e os mais diversos espaços do edifício serão ocupados com acontecimentos e propostas artísticas diversas: concertos, filmes, espectáculos, conversas, conferências para os adultos e outras para os mais novos, playstations, exposições, cursos de culinária, pistas de comboio, bailes de traje a rigor, cartas de amor por encomenda e até mesmo aprender a fazer a cama. 
A lista de actividades é infinita e aberta a outras tantas coisas mais.
Até porque, para nós, ‘mi casa es su casa’.
Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio

Projecto comissariado por Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio para o São Luiz Teatro Municipal
Produção executiva: Cão Solteiro

Uma Produção São Luiz Teatro Municipal


FESTA DE APRESENTAÇÃO – ANOS DOURADOS 
Sexta-feira, dia 29 das 22h às 2h
com 16 DJ´s convidados 
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

AULAS EM CASA 
dos 7 aos 12 | adultos autorizados
duração: 20 Min + 10 min para perguntas
Janelão do Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Vamos explicar coisas essenciais, como o que é o amor, o que é o público e o privado, o que significam as palavras, com "professores" de excepção. Os adultos podem assistir, de longe, e desde que não interfiram. 

Sábado 
10h O que é a Economia? Elisa Ferreira
10h30 O que é o Amor? Maria João Mayer Branco
11h Publico vs. Privado Maria Emília Brederode Santos
11h30 O que significam as palavras? Rui Cardoso Martins

Domingo 
10h O que é a casa? António Guerreiro
10h30 O que é a poesia? Inês Fonseca Santos
11h O que é a maluquice? Nuno Artur Silva
11h30 O que é o país, a Europa, o mundo? Rui Tavares

CONVERSAS 
Duração: 75m
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

"Querem que vá falar como se estivesse na mesa da minha cozinha?" - perguntaram-nos. A ideia é mais ou menos essa: que falemos do que se passa em casa, que seja uma conversa como aquelas que temos na cozinha, com amigos, que interroguemos o sentido da casa, da pertença, da raiz. Diferentes abordagens e interlocutores, seis painéis no total. 

Sábado às 12h
O que é que faz com que uma casa seja um lar?
Miguel Vale de Almeida
Tatiana Salem Levy
Miguel Lobo Antunes
Moderação: Joana Gorjão Henriques

Sábado às 15h
A política e o mundo à mesa
Bárbara Reis
José António Pinto Ribeiro
João Constâncio
Moderação: Paulo Pena

Sábado às 17h
As casas de que gosto
João Luís Carrilho da Graça
José Pedro Croft
Delfim Sardo
Moderação: Maria João Guardão

Domingo às 12h
Morada de família
Sandra Marques Pereira
Pedro Bidarra
Filipa Lonwdes Vicente
Moderação: Isabel Lucas

Domingo às 15h
Família: as coisas que se passam em casa
Ana Margarida de Carvalho
Gabriela Moita
Richard Zimler
Moderação: Catarina Neves 

Domingo às 17h
A casa da minha infância
João Seabra Diniz 
Pedro Mexia
Alexandre Quintanilha
Moderação: Pedro Santos Guerreiro


TEATRO
Rua de Sentido Único, Mónica Calle
Sábado e Domingo das 13h às 18h 
Camarim do Jardim de Inverno, a classificar pela CCE
Entrada livre (lotação: 2 pessoas)
Duração (aprox.) 35 min
Reserva obrigatória no próprio dia a partir das 12h30 no Jardim de Inverno

Levar-te-ei aos países do sol, mostrar-te-ei as nascentes, levaremos na bagagem somente os objectos inúteis. (Mónica Calle)
Um quarto. Uma cama. Um encontro entre três desconhecidos. Um espectáculo de Mónica Calle em sessões contínuas.

Leilão, Plataforma285 
Sábado e Domingo às 17h 
Sub-palco da Sala Principal, M/6 
Duração: 60 minutos
Entrada livre, sujeita à lotação da sala 

A Plataforma285 anuncia aqui a sua intenção de leiloar o seu próximo espectáculo. "Serviço Público" - provisório - estará, assim, disponível para que o possa comprar, usar, destruir, queimar, adjectivar. Faça a sua melhor oferta e tenha este espectáculo na sua sala!


Terceira Idade, Teatro Praga 
Sábado às 21h 
Palco da Sala Principal, M/12
Duração: 60 minutos

Em Terceira Idade, texto de José Maria Vieira Mendes, os actores, antes de começarem, já se reformaram. Gente com passado, que apresenta rugas onde não as vemos. Um espectáculo que testa a terceira idade do Teatro Praga. Como será daqui a 40 anos? Na especulação da resposta, acrescenta-se matéria a um conceito por abrir. 


Play, the Film, Cão Solteiro & André Godinho 
Domingo às 21h
Palco da Sala Principal, M/12
Duração: 90 minutos 

PLAY: The Film, PLAY/ THE FILM, PLAY THE FILM GODDAMMIT.

(Começamos mal)

O que adiante se visionará não é um filme nem um espectáculo de teatro mas o espaço ínfimo entre os dois formatos. Um momento de interferência em que as regras aceites de bem fazer (fazer bem sem olhar a quem) coexistem enervadas e sobrepostas. 
Àquilo que se enuncia logo se renuncia: propõe-se um OLHAR deslocado sobre dois objectos cuja vista se atravanca para que a sua forma original, desprovida de significado, seja apenas matéria da cena. Des/monta-se o filme através do acto teatral, e o invés. Ao filme, aliás, faz-se-lhe de tudo: cortar, colar, inverter, dobrar. Sem qualquer um dos pudores da cinefilia. 
Opera-se sobretudo pela transferência de dados, quer cénicos quer textuais, entre formatos recorrendo a encontros já de si históricos como o do Vaudeville com o Musical de Hollywood, concentrando-nos na figura de maravilhoso mau gosto - o ventríloquo. 
(Não se nos apresentam soluções, apenas o desejo de sublimar neste local o caos instaurado nas nossas cabeças.

DANÇA
Este Corpo Que Me Ocupa, João Fiadeiro 
Sábado às 20h 
Teatro- Estúdio Mário Viegas, M/6
Duração: 55 min

Este Corpo Que Me Ocupa, criado em 2008, é uma obra que coloca o tempo em pausa, multiplicando (via desaceleração) as possibilidades de relação com o acontecimento. Essa pausa prolonga o presente e o seu estado de latência, condição para que o vazio e a ausência - matérias de eleição desta proposta - ganhem corpo e se afirmem enquanto protagonistas. "(...) Depois desse dia fiquei vazio. Esvaziado. Ou desaparecia ou enchia este corpo com qualquer coisa. E foi o que fiz. Enchi-o comigo mesmo." (João Fiadeiro in auto-biografia, Jornal de Letras, 1997)

I Was Here, João Fiadeiro 
Domingo às 20h
Teatro- Estúdio Mário Viegas, M/6
Duração: 55 min

I Was Here, conferência-performance criada em 2014, re-visita a peça I Am Here de 2003 que, por sua vez, convoca o universo da artista plástica Helena Almeida. Através de excertos de filmes, fotos, maquetes e demonstrações – João Fiadeiro expõem o modo como se deu o encontro com o imaginário da Helena Almeida; a maneira como se processou a relação com os diversos colaboradores, onde se incluem o cenógrafo Walter Lauterer ou a fotógrafa Patrícia Almeida; e a forma como se processou, nas diferentes escalas, o deslocamento entre o afeto original, a formulação do enunciado e a manifestação da obra.

MÚSICA
Pequenos Delírios Domésticos 
Sérgio Godinho com Filipe Raposo
Sábado e Domingo às 23h Sala Principal 
M/6
Duração (aprox): 40m

O São Luiz é de há muito uma casa minha. Chegado do outro lado do mundo após o 25 de Abril, vi-me, dois dias depois, a cantar num dos primeiros cantos livres, a partilhar com os meus cúmplices, no palco e na plateia, as canções que nunca tinha podido cantar no meu país, mas que muitos já tinham nos ouvidos e na memória. 
Desde aí, essa casa tornou-se cada vez mais familiar, de tantas maneiras diferentes, sala principal, Jardim de Inverno, bons prazeres em muitos formatos. Acresce o prazer recíproco de ter assistido, do outro lado, a muitos espectáculos que foram pontos acesos no meu eterno mapa de referências.
Por essas e por outras, o convite do São Luiz foi tão bem-vindo. Explorar, num breve concerto, quais das minhas canções se cruzavam com o conceito geral de Casa, de maneira explícita numas, sugerida noutras, foi uma bela maneira de pensar em mim próprio e nas vidas criativas que fui atravessando. Escolhi algumas entre muitas, de amores desamores confortos desconformidades redenções, e convidei apenas um pianista, o grande Filipe Raposo, para me acompanhar.
Voz e piano a soarem nas paredes de uma casa familiar. Chega e sobra.
Sérgio Godinho

 

VENDA DE GARAGEM 
NAAAS - Núcleo de Apoios a Animais Abandonados de Sintra
Sábado e Domingo das 10h às 21h
Bengaleiro do 2º Balcão 
Entrada livre

Nos dias 28 e 29 Jan, poderão ser deixados na bilheteira do Teatro São Luiz, entre as 13h e as 20h, objectos para venda


LEITURAS COLECTIVAS
Coordenação e autoria: José Maria Vieira Mendes 
Onde Vamos Morar - Sábado às 16h30
Avarento - Domingo às 16h30 
Sala de reuniões
Duração (aprox): 1h30
Entrada livre, sujeita à lotação da sala



CINEMA 
Teatro- Estúdio Mário Viegas
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Sábado às 14h30 
Esta É a Minha Casa, João Pedro Rodrigues (1997, 50’, a classificar pela CCE)
Sábado às 16h 
As Casas não Morrem, Pedro Macedo e Inês Fonseca Santos (2014, 18’ M/6) e 
La Chambre Jaune de André Godinho (2012, 28’, a classificar pela CCE)
Domingo às 16h 
A Casa Que Eu Quero de Joana Frazão e Raquel Marques (2012, 65’, M/12)



PINTAR PAREDES 
Duração 1h
Teatro- Estúdio Mário Viegas 
Entrada livre 

O sonho de qualquer criança, e não só: desenhar com dois dos melhores ilustradores portugueses: Catarina Sobral e João Fazenda. 

Domingo às 10h
Casa portátil de Catarina Sobral 
Duração: 1h
6 > 12 anos
Lotação: 25 crianças 
Nota: adultos não autorizados 

Quando viajamos sentimos saudades de casa. Saudades do gato, da nossa cama, ou do pequeno almoço na tigela de todos os dias. Sentirmo-nos em casa significa estarmos rodeados das pessoas e dos objectos que nos fazem falta no dia-a-dia. Se agora tivéssemos de viajar, sem saber quando poderíamos regressar, o que levaríamos numa casa portátil? E como seria essa casa: uma casa-caravana, uma casa-locomotiva, uma casa-foguetão?
Catarina Sobral 

Domingo às 12h
Atelier de João Fazenda 
Duração: 1h30
6 > 10 anos
Lotação: 20 crianças 
Nota: adultos autorizados 

Desenhar o nosso quarto, ou a sala, ou a cozinha da avó, ou porque não uma sala feita ‘a medida da imaginação de cada um.
Cada participante tem uma divisão ‘a sua escolha para desenhar e no final constrói-se uma grande casa feita de desenhos.



QUERIDOS, MUDEM A CASA 

Conversar Sobre Plantas, Conversar Com as Plantas
Com António Carmo Gouveia (Jardim Botânico da Universidade de Coimbra)
Sábado às 16h
Varanda – 2º piso
Duração: 1h
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Princesas do Gelo de Joana Barrios
Sábado das 18h30 
Janelão do Jardim de Inverno 
Duração: 1h 
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Princesas do Gelo acontece dentro de um armário, não é um coming out.
É sobre como lidamos com o frio, como se odeia o frio e como é impossível evitá-lo, como a sua sazonalidade deprime, como se recusa tudo aquilo que o frio tem para nos oferecer e como não se apreende o frio, hoje. Mas tudo isto relacionado com armários. E closets, que hoje em dia já ninguém tem armários. Tem closets.
É sobre sapatos brancos em Janeiro ser sinal de pouco dinheiro.


Breviário do Quotidiano #8 de Ana Pérez-Quiroga
Domingo às 14h30
Teatro-Estúdio Mário Viegas
Entrada livre, sujeita à lotação da sala
Duração: 1h


TEATRO PARA CRIANÇAS
Alva 7.0 de Sónia Baptista
Sábado às 11h
Teatro-Estúdio Mário Viegas, M/6
Entrada Livre, sujeita à lotação da sala
Duração: 1h

No tempo em que as máquinas falavam, era uma vez… a história d´A Branca de Neve e os sete anões transformada e contada outra vez. A Branca, agora Alva, não se perde num bosque antigo mas deambula através de uma paisagem robótica e futurista num tempo em que maçãs viajam com as estrelas e as máquinas têm coração. 



VISITAS GUIADAS
Lotação 20
Duração: 1h
Entrada livre 

Quando alguém vai a nossa casa pela primeira vez, mostramos o espaço. Gostaríamos que isso acontecesse no São Luiz. O espaço, além do que é conhecido, tem oficinas, passagens mais ou menos secretas, sub-palco, teia sobre o palco… De certeza que um arquitecto olha para aspectos da sua área. Talvez um escritor possa imaginar que personagens, que vidas podiam acontecer ali... Cada visita é uma viagem e uma forma de invenção. 

Sábado, dia 30
11h – Pedro Reis
14h – Gisela João 
17h - João Tordo

Domingo, dia 31
11h - Cátia Nunes 
14h - Rui Horta
17h - Aida Tavares

PERFORMANCE
Sábado e Domingo
Vários locais, das 11h às 19h

Ciclo de performances com a colaboração com a Escola Superior de Teatro e Cinema – Departamento de Teatro (Sofia Fialho; Mariana Chilão; Anabela Ribeiro; Lara Mesquita; Sílvio Vieira; Bernardo Faria; Lina Rodrigues; Bárbara Bruno; Tomás Varela; Rodrigo Ribeiro; Inês Laranjeiro e Matilde Jalles).



CARTAS DE AMOR 
Simultâneo em Camarotes diferentes.
Lotação: 1 pessoa

Convidámos escritores, artistas plásticos e artistas para escrever cartas, desenhar cartas e lançar cartas. Cartas de Amor. É um misto de consultório sentimental e oficina de objectos amorosos.  

Sábado das 15h às 17h
Joana Villaverde, Desenhar cartas
Fernanda Mira Barros, Escrever Cartas
Fernando Luis Sampaio, Lançar Cartas 

Domingo das 15h às 17h
Vasco Araújo, Desenhar cartas
Isabela Figueiredo, Escrever Cartas 
Fernando Luis Sampaio, Lançar Cartas 



A HÓSPEDE
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Não raro, recebemos amigos em casa, a quem oferecemos, pelo menos, o sofá da sala... A Luana Carvalho é uma espécie de hóspede-amiga do peito-recém chegada à família. Vai falar do projecto Casa Cais e apresentar o disco de estreia Branco. Isto é o que está previsto. Mas pode dançar!


Domingo das 18h30 às 20h
O Branco e a Casa Cais, Luana Carvalho
Num canto da casa, com o seu violão, vai apresentar temas do álbum de estreia "Branco" e apresentar o projecto "Cais Casa". 




Sinopse

30 E 31 JAN
EVENTO

Estar Em Casa
Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio
Sábado e Domingo – Todo o Dia
Vários Locais do Teatro
M/12
bilhetes à venda
nota: 
Não há reservas para nenhuma actividade de entrada livre
Estar em Casa é um evento concebido por Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio para a ‘okupação' do São Luiz, a casa do país com mais dourados na sala! Durante o último fim-de-semana do primeiro mês do ano, o teatro abre as portas e entrega as chaves a uma programação ininterrupta, enaltecendo esse espaço que é habitado durante tanto tempo e a todas as horas por todos nós. Feitas as contas ao fim de uma vida, muito tempo foi passado neste sítio (que afinal não é um ‘não-sítio’, mas uma habitação cheia de histórias). 
Sala, cozinha, casas-de-banho, salões e os mais diversos espaços do edifício serão ocupados com acontecimentos e propostas artísticas diversas: concertos, filmes, espectáculos, conversas, conferências para os adultos e outras para os mais novos, playstations, exposições, cursos de culinária, pistas de comboio, bailes de traje a rigor, cartas de amor por encomenda e até mesmo aprender a fazer a cama. 
A lista de actividades é infinita e aberta a outras tantas coisas mais.
Até porque, para nós, ‘mi casa es su casa’.
Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio

Projecto comissariado por Anabela Mota Ribeiro e André e. Teodósio para o São Luiz Teatro Municipal
Produção executiva: Cão Solteiro

Uma Produção São Luiz Teatro Municipal


FESTA DE APRESENTAÇÃO – ANOS DOURADOS 
Sexta-feira, dia 29 das 22h às 2h
com 16 DJ´s convidados 
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

AULAS EM CASA 
dos 7 aos 12 | adultos autorizados
duração: 20 Min + 10 min para perguntas
Janelão do Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Vamos explicar coisas essenciais, como o que é o amor, o que é o público e o privado, o que significam as palavras, com "professores" de excepção. Os adultos podem assistir, de longe, e desde que não interfiram. 

Sábado 
10h O que é a Economia? Elisa Ferreira
10h30 O que é o Amor? Maria João Mayer Branco
11h Publico vs. Privado Maria Emília Brederode Santos
11h30 O que significam as palavras? Rui Cardoso Martins

Domingo 
10h O que é a casa? António Guerreiro
10h30 O que é a poesia? Inês Fonseca Santos
11h O que é a maluquice? Nuno Artur Silva
11h30 O que é o país, a Europa, o mundo? Rui Tavares

CONVERSAS 
Duração: 75m
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

"Querem que vá falar como se estivesse na mesa da minha cozinha?" - perguntaram-nos. A ideia é mais ou menos essa: que falemos do que se passa em casa, que seja uma conversa como aquelas que temos na cozinha, com amigos, que interroguemos o sentido da casa, da pertença, da raiz. Diferentes abordagens e interlocutores, seis painéis no total. 

Sábado às 12h
O que é que faz com que uma casa seja um lar?
Miguel Vale de Almeida
Tatiana Salem Levy
Miguel Lobo Antunes
Moderação: Joana Gorjão Henriques

Sábado às 15h
A política e o mundo à mesa
Bárbara Reis
José António Pinto Ribeiro
João Constâncio
Moderação: Paulo Pena

Sábado às 17h
As casas de que gosto
João Luís Carrilho da Graça
José Pedro Croft
Delfim Sardo
Moderação: Maria João Guardão

Domingo às 12h
Morada de família
Sandra Marques Pereira
Pedro Bidarra
Filipa Lonwdes Vicente
Moderação: Isabel Lucas

Domingo às 15h
Família: as coisas que se passam em casa
Ana Margarida de Carvalho
Gabriela Moita
Richard Zimler
Moderação: Catarina Neves 

Domingo às 17h
A casa da minha infância
João Seabra Diniz 
Pedro Mexia
Alexandre Quintanilha
Moderação: Pedro Santos Guerreiro


TEATRO
Rua de Sentido Único, Mónica Calle
Sábado e Domingo das 13h às 18h 
Camarim do Jardim de Inverno, a classificar pela CCE
Entrada livre (lotação: 2 pessoas)
Duração (aprox.) 35 min
Reserva obrigatória no próprio dia a partir das 12h30 no Jardim de Inverno

Levar-te-ei aos países do sol, mostrar-te-ei as nascentes, levaremos na bagagem somente os objectos inúteis. (Mónica Calle)
Um quarto. Uma cama. Um encontro entre três desconhecidos. Um espectáculo de Mónica Calle em sessões contínuas.

Leilão, Plataforma285 
Sábado e Domingo às 17h 
Sub-palco da Sala Principal, M/6 
Duração: 60 minutos
Entrada livre, sujeita à lotação da sala 

A Plataforma285 anuncia aqui a sua intenção de leiloar o seu próximo espectáculo. "Serviço Público" - provisório - estará, assim, disponível para que o possa comprar, usar, destruir, queimar, adjectivar. Faça a sua melhor oferta e tenha este espectáculo na sua sala!


Terceira Idade, Teatro Praga 
Sábado às 21h 
Palco da Sala Principal, M/12
Duração: 60 minutos

Em Terceira Idade, texto de José Maria Vieira Mendes, os actores, antes de começarem, já se reformaram. Gente com passado, que apresenta rugas onde não as vemos. Um espectáculo que testa a terceira idade do Teatro Praga. Como será daqui a 40 anos? Na especulação da resposta, acrescenta-se matéria a um conceito por abrir. 


Play, the Film, Cão Solteiro & André Godinho 
Domingo às 21h
Palco da Sala Principal, M/12
Duração: 90 minutos 

PLAY: The Film, PLAY/ THE FILM, PLAY THE FILM GODDAMMIT.

(Começamos mal)

O que adiante se visionará não é um filme nem um espectáculo de teatro mas o espaço ínfimo entre os dois formatos. Um momento de interferência em que as regras aceites de bem fazer (fazer bem sem olhar a quem) coexistem enervadas e sobrepostas. 
Àquilo que se enuncia logo se renuncia: propõe-se um OLHAR deslocado sobre dois objectos cuja vista se atravanca para que a sua forma original, desprovida de significado, seja apenas matéria da cena. Des/monta-se o filme através do acto teatral, e o invés. Ao filme, aliás, faz-se-lhe de tudo: cortar, colar, inverter, dobrar. Sem qualquer um dos pudores da cinefilia. 
Opera-se sobretudo pela transferência de dados, quer cénicos quer textuais, entre formatos recorrendo a encontros já de si históricos como o do Vaudeville com o Musical de Hollywood, concentrando-nos na figura de maravilhoso mau gosto - o ventríloquo. 
(Não se nos apresentam soluções, apenas o desejo de sublimar neste local o caos instaurado nas nossas cabeças.

DANÇA
Este Corpo Que Me Ocupa, João Fiadeiro 
Sábado às 20h 
Teatro- Estúdio Mário Viegas, M/6
Duração: 55 min

Este Corpo Que Me Ocupa, criado em 2008, é uma obra que coloca o tempo em pausa, multiplicando (via desaceleração) as possibilidades de relação com o acontecimento. Essa pausa prolonga o presente e o seu estado de latência, condição para que o vazio e a ausência - matérias de eleição desta proposta - ganhem corpo e se afirmem enquanto protagonistas. "(...) Depois desse dia fiquei vazio. Esvaziado. Ou desaparecia ou enchia este corpo com qualquer coisa. E foi o que fiz. Enchi-o comigo mesmo." (João Fiadeiro in auto-biografia, Jornal de Letras, 1997)

I Was Here, João Fiadeiro 
Domingo às 20h
Teatro- Estúdio Mário Viegas, M/6
Duração: 55 min

I Was Here, conferência-performance criada em 2014, re-visita a peça I Am Here de 2003 que, por sua vez, convoca o universo da artista plástica Helena Almeida. Através de excertos de filmes, fotos, maquetes e demonstrações – João Fiadeiro expõem o modo como se deu o encontro com o imaginário da Helena Almeida; a maneira como se processou a relação com os diversos colaboradores, onde se incluem o cenógrafo Walter Lauterer ou a fotógrafa Patrícia Almeida; e a forma como se processou, nas diferentes escalas, o deslocamento entre o afeto original, a formulação do enunciado e a manifestação da obra.

MÚSICA
Pequenos Delírios Domésticos 
Sérgio Godinho com Filipe Raposo
Sábado e Domingo às 23h Sala Principal 
M/6
Duração (aprox): 40m

O São Luiz é de há muito uma casa minha. Chegado do outro lado do mundo após o 25 de Abril, vi-me, dois dias depois, a cantar num dos primeiros cantos livres, a partilhar com os meus cúmplices, no palco e na plateia, as canções que nunca tinha podido cantar no meu país, mas que muitos já tinham nos ouvidos e na memória. 
Desde aí, essa casa tornou-se cada vez mais familiar, de tantas maneiras diferentes, sala principal, Jardim de Inverno, bons prazeres em muitos formatos. Acresce o prazer recíproco de ter assistido, do outro lado, a muitos espectáculos que foram pontos acesos no meu eterno mapa de referências.
Por essas e por outras, o convite do São Luiz foi tão bem-vindo. Explorar, num breve concerto, quais das minhas canções se cruzavam com o conceito geral de Casa, de maneira explícita numas, sugerida noutras, foi uma bela maneira de pensar em mim próprio e nas vidas criativas que fui atravessando. Escolhi algumas entre muitas, de amores desamores confortos desconformidades redenções, e convidei apenas um pianista, o grande Filipe Raposo, para me acompanhar.
Voz e piano a soarem nas paredes de uma casa familiar. Chega e sobra.
Sérgio Godinho

 

VENDA DE GARAGEM 
NAAAS - Núcleo de Apoios a Animais Abandonados de Sintra
Sábado e Domingo das 10h às 21h
Bengaleiro do 2º Balcão 
Entrada livre

Nos dias 28 e 29 Jan, poderão ser deixados na bilheteira do Teatro São Luiz, entre as 13h e as 20h, objectos para venda


LEITURAS COLECTIVAS
Coordenação e autoria: José Maria Vieira Mendes 
Onde Vamos Morar - Sábado às 16h30
Avarento - Domingo às 16h30 
Sala de reuniões
Duração (aprox): 1h30
Entrada livre, sujeita à lotação da sala



CINEMA 
Teatro- Estúdio Mário Viegas
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Sábado às 14h30 
Esta É a Minha Casa, João Pedro Rodrigues (1997, 50’, a classificar pela CCE)
Sábado às 16h 
As Casas não Morrem, Pedro Macedo e Inês Fonseca Santos (2014, 18’ M/6) e 
La Chambre Jaune de André Godinho (2012, 28’, a classificar pela CCE)
Domingo às 16h 
A Casa Que Eu Quero de Joana Frazão e Raquel Marques (2012, 65’, M/12)



PINTAR PAREDES 
Duração 1h
Teatro- Estúdio Mário Viegas 
Entrada livre 

O sonho de qualquer criança, e não só: desenhar com dois dos melhores ilustradores portugueses: Catarina Sobral e João Fazenda. 

Domingo às 10h
Casa portátil de Catarina Sobral 
Duração: 1h
6 > 12 anos
Lotação: 25 crianças 
Nota: adultos não autorizados 

Quando viajamos sentimos saudades de casa. Saudades do gato, da nossa cama, ou do pequeno almoço na tigela de todos os dias. Sentirmo-nos em casa significa estarmos rodeados das pessoas e dos objectos que nos fazem falta no dia-a-dia. Se agora tivéssemos de viajar, sem saber quando poderíamos regressar, o que levaríamos numa casa portátil? E como seria essa casa: uma casa-caravana, uma casa-locomotiva, uma casa-foguetão?
Catarina Sobral 

Domingo às 12h
Atelier de João Fazenda 
Duração: 1h30
6 > 10 anos
Lotação: 20 crianças 
Nota: adultos autorizados 

Desenhar o nosso quarto, ou a sala, ou a cozinha da avó, ou porque não uma sala feita ‘a medida da imaginação de cada um.
Cada participante tem uma divisão ‘a sua escolha para desenhar e no final constrói-se uma grande casa feita de desenhos.



QUERIDOS, MUDEM A CASA 

Conversar Sobre Plantas, Conversar Com as Plantas
Com António Carmo Gouveia (Jardim Botânico da Universidade de Coimbra)
Sábado às 16h
Varanda – 2º piso
Duração: 1h
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Princesas do Gelo de Joana Barrios
Sábado das 18h30 
Janelão do Jardim de Inverno 
Duração: 1h 
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Princesas do Gelo acontece dentro de um armário, não é um coming out.
É sobre como lidamos com o frio, como se odeia o frio e como é impossível evitá-lo, como a sua sazonalidade deprime, como se recusa tudo aquilo que o frio tem para nos oferecer e como não se apreende o frio, hoje. Mas tudo isto relacionado com armários. E closets, que hoje em dia já ninguém tem armários. Tem closets.
É sobre sapatos brancos em Janeiro ser sinal de pouco dinheiro.


Breviário do Quotidiano #8 de Ana Pérez-Quiroga
Domingo às 14h30
Teatro-Estúdio Mário Viegas
Entrada livre, sujeita à lotação da sala
Duração: 1h


TEATRO PARA CRIANÇAS
Alva 7.0 de Sónia Baptista
Sábado às 11h
Teatro-Estúdio Mário Viegas, M/6
Entrada Livre, sujeita à lotação da sala
Duração: 1h

No tempo em que as máquinas falavam, era uma vez… a história d´A Branca de Neve e os sete anões transformada e contada outra vez. A Branca, agora Alva, não se perde num bosque antigo mas deambula através de uma paisagem robótica e futurista num tempo em que maçãs viajam com as estrelas e as máquinas têm coração. 



VISITAS GUIADAS
Lotação 20
Duração: 1h
Entrada livre 

Quando alguém vai a nossa casa pela primeira vez, mostramos o espaço. Gostaríamos que isso acontecesse no São Luiz. O espaço, além do que é conhecido, tem oficinas, passagens mais ou menos secretas, sub-palco, teia sobre o palco… De certeza que um arquitecto olha para aspectos da sua área. Talvez um escritor possa imaginar que personagens, que vidas podiam acontecer ali... Cada visita é uma viagem e uma forma de invenção. 

Sábado, dia 30
11h – Pedro Reis
14h – Gisela João 
17h - João Tordo

Domingo, dia 31
11h - Cátia Nunes 
14h - Rui Horta
17h - Aida Tavares

PERFORMANCE
Sábado e Domingo
Vários locais, das 11h às 19h

Ciclo de performances com a colaboração com a Escola Superior de Teatro e Cinema – Departamento de Teatro (Sofia Fialho; Mariana Chilão; Anabela Ribeiro; Lara Mesquita; Sílvio Vieira; Bernardo Faria; Lina Rodrigues; Bárbara Bruno; Tomás Varela; Rodrigo Ribeiro; Inês Laranjeiro e Matilde Jalles).



CARTAS DE AMOR 
Simultâneo em Camarotes diferentes.
Lotação: 1 pessoa

Convidámos escritores, artistas plásticos e artistas para escrever cartas, desenhar cartas e lançar cartas. Cartas de Amor. É um misto de consultório sentimental e oficina de objectos amorosos.  

Sábado das 15h às 17h
Joana Villaverde, Desenhar cartas
Fernanda Mira Barros, Escrever Cartas
Fernando Luis Sampaio, Lançar Cartas 

Domingo das 15h às 17h
Vasco Araújo, Desenhar cartas
Isabela Figueiredo, Escrever Cartas 
Fernando Luis Sampaio, Lançar Cartas 



A HÓSPEDE
Jardim de Inverno
Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Não raro, recebemos amigos em casa, a quem oferecemos, pelo menos, o sofá da sala... A Luana Carvalho é uma espécie de hóspede-amiga do peito-recém chegada à família. Vai falar do projecto Casa Cais e apresentar o disco de estreia Branco. Isto é o que está previsto. Mas pode dançar!


Domingo das 18h30 às 20h
O Branco e a Casa Cais, Luana Carvalho
Num canto da casa, com o seu violão, vai apresentar temas do álbum de estreia "Branco" e apresentar o projecto "Cais Casa". 




Críticas

Não existem críticas.

Preçário

1

Descontos

50% 
Apenas os portadores do Cartão Maria & Luiz têm descontos 

Comentários

Não possui comentários. Envie o Seu !

stqqssd
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
 
BILHETEIRA
 
bilheteira@teatrosaoluiz.pt
Tel.  (+351) 213 257 650
Todos os dias, das 13h às 20h
Siga-nos no: facebook