Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues
 
TEATRO
5 A 22 NOV

O QUE SE LEVA DESTA VIDA

MUNDO PERFEITO
SALA PRINCIPAL M/12
Quarta a Sábado às 21h00; Domingo às 17h30

Sinopse

Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues são dois cozinheiros criativos que dirigem o restaurante Cópia, em Lisboa. Costumam dizer que a descoberta de um novo prato contribui mais para a felicidade dos seres humanos do que a descoberta de uma nova estrela. Mas quando tentam inventar juntos a receita que lhes pode conquistar a primeira estrela Michelin, o confronto é inevitável. Um espectáculo sobre a arte e a ciência da cozinha, sobre a insatisfação permanente e o espírito inventivo de dois cozinheiros que acabam por descobrir que um prato conta sempre a história de quem o cozinhou.

Veja aqui o programa deste espectáculo.

Texto Gonçalo Waddington, João Canijo e Tiago Rodrigues
Encenação e Interpretação Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues
Dramaturgia João Canijo
Colaboração artística Thomas Walgrave
Consultoria Diana Carvalho e Frederico Ribeiro
Produção Magda Bizarro
Assistência Mariana Sampaio Gonçalves
Entrevistas e colaboração na pesquisa Carme Ruscalleda (Restaurante Sant Pau), Juan Mari Arzak (Restaurante Arzak), Martín Berasategui (Restaurante Martín Berasategui) e Santi Santamaria (Restaurante Can Fabes)
Fotografia do cartaz Rita Carmo
Residência de criação Espaço Alkantara

Agradecimentos José Avillez, Inox 3,  Restaurante Suite, Fausto Airoldi, Laura Neves, Miguel Moreira, Victor  Marques, Cristina Rodrigues, Ângela Rodrigues, Igor Miguel, Vítor Pinto,  Moirika Reker, Ricardo Carmona, Rui Borges dos Santos, João Constâncio,  Lavandaria Carvi e Vastiversus

 

O espectáculo contém linguagem que poderá ferir susceptibilidades.

FIQUE PARA CONVERSAR COM OS INTÉRPRETES
11 e 18 NOV
Quarta, a seguir ao espectáculo
Saiba mais

Sessão com interpretação em Língua Gestual Portuguesa
15 NOV
Domingo às 17h30
Necessária marcação com 7 dias de antecedência: Tel. 213 257 650 / bilheteira@teatrosaoluiz.pt

Programas em Braille e ampliado
Necessário contactar o Teatro com 7 dias de antecedência: Tel. 213 257 640 / geral@teatrosaoluiz.pt

 

APOIO À DIVULGAÇÃO

APOIOS

Sinopse

Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues são dois cozinheiros criativos que dirigem o restaurante Cópia, em Lisboa. Costumam dizer que a descoberta de um novo prato contribui mais para a felicidade dos seres humanos do que a descoberta de uma nova estrela. Mas quando tentam inventar juntos a receita que lhes pode conquistar a primeira estrela Michelin, o confronto é inevitável. Um espectáculo sobre a arte e a ciência da cozinha, sobre a insatisfação permanente e o espírito inventivo de dois cozinheiros que acabam por descobrir que um prato conta sempre a história de quem o cozinhou.

Veja aqui o programa deste espectáculo.

Texto Gonçalo Waddington, João Canijo e Tiago Rodrigues
Encenação e Interpretação Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues
Dramaturgia João Canijo
Colaboração artística Thomas Walgrave
Consultoria Diana Carvalho e Frederico Ribeiro
Produção Magda Bizarro
Assistência Mariana Sampaio Gonçalves
Entrevistas e colaboração na pesquisa Carme Ruscalleda (Restaurante Sant Pau), Juan Mari Arzak (Restaurante Arzak), Martín Berasategui (Restaurante Martín Berasategui) e Santi Santamaria (Restaurante Can Fabes)
Fotografia do cartaz Rita Carmo
Residência de criação Espaço Alkantara

Agradecimentos José Avillez, Inox 3,  Restaurante Suite, Fausto Airoldi, Laura Neves, Miguel Moreira, Victor  Marques, Cristina Rodrigues, Ângela Rodrigues, Igor Miguel, Vítor Pinto,  Moirika Reker, Ricardo Carmona, Rui Borges dos Santos, João Constâncio,  Lavandaria Carvi e Vastiversus

 

O espectáculo contém linguagem que poderá ferir susceptibilidades.

FIQUE PARA CONVERSAR COM OS INTÉRPRETES
11 e 18 NOV
Quarta, a seguir ao espectáculo
Saiba mais

Sessão com interpretação em Língua Gestual Portuguesa
15 NOV
Domingo às 17h30
Necessária marcação com 7 dias de antecedência: Tel. 213 257 650 / bilheteira@teatrosaoluiz.pt

Programas em Braille e ampliado
Necessário contactar o Teatro com 7 dias de antecedência: Tel. 213 257 640 / geral@teatrosaoluiz.pt

 

APOIO À DIVULGAÇÃO

APOIOS

Críticas

Preçário

0

Descontos

50% Estudantes, maiores de 65 anos, pessoas com deficiência e acompanhante, desempregados, profissionais do espectáculo, funcionários da CML e Empresas Municipais (extensível a um acompanhante).
30% Grupos de 10 pessoas ou mais.
20% Protocolos e acordos.

Preço especial
€5
Menores de 30 anos (excepto 1ª plateia, 1º balcão central e camarotes de 1ª ordem central).
Grupos escolares / preço por pessoa (por cada 10 alunos, entrada gratuita para 1 professor).
Lugares de visibilidade reduzida (Vendidos apenas no dia do espectáculo ou quando os restantes lugares esgotarem)

Duração aproximada: 1h15 s/intervalo

Sessão com interpretação em Língua Gestual Portuguesa
15 NOV
Domingo às 17h30
Necessária marcação com 7 dias de antecedência (Tel. 213 257 650 / bilheteira@teatrosaoluiz.pt)

Programas em Braille e ampliado
Necessário contactar o Teatro com 7 dias de antecedência: Tel. 213 257 640 / geral@teatrosaoluiz.pt

 


Bilhetes também à venda em www.ticketline.pt e nos locais habituais.

Comentários

Inêz
14 Maio 2010 - 00h30m
Confesso que só ouvi falar desta peça já ela tinha saído de cena. Adorei o pouco que vi, no entanto confesso que fiquei desiludida com o acontecimento com o grupo sénior pretencente ao INATEL. De momento, encontro.me a realizar um trabalho sobre o mesmo assunto, não sei se ainda vou a tempo de obter respostas, mas se sim, agradeço que expressem a opinião sobre o acontecimento em si... Porque pensam ter acontecido tal reacção por parte dos idosos? Terá sido má organização por parte do INATEL? Terá sido apenas má educação por parte dos idosos? Ou será que algo como a peça não ser direccionada ao grupo em questão, fez com que tal agressão verbal culminasse? Obrigado pela colaboração.
Alberto
11 Dezembro 2009 - 13h33m
Para quando espectáculos no Porto? Tenho muita curiosidade em ver mas ir de propósito a Lisboa par ver uma peça é algo complicado nesta altura de crise...
Sandra Creio
25 Novembro 2009 - 19h15m
Vão repor a peça?! Fui ver e adorei... mas gostava de rever. Parabéns a toda equipa!
Diana
22 Novembro 2009 - 23h04m
Para os comentários não serem tão cinzentos, aqui vai uma boa palavra! Vi a peça no último dia mas ainda assim recomendo - não vá dar-se o caso de ser reposta. Fico chocada ao saber da situação "sémior" que se gerou que no fundo faz dos séniores mais arruaceiros do que a linguagem. O Inatel já não é o que era... lá, aceitam toda a gente... é o que dá!, não se sabem comportar... :-) Eu, não sendo sénior, gostei muito. E o palavrão que ferve quase constante soou-me sempre muito natural, muito perto da linguagem da vida quotidiana e nada forçado. Agrada-me que uma sala tão bonita e com tanta tradição como o São Luiz tenha recebido a peça. É sinal que acompanha os tempos. A linguagem é sem dúvida forte mas em versão 'chorrilho de asneiras', principalmente na discussão óptima entre os dois, é profundamente referescante. Gonçalo, só para que saibas: sendo um sonho meu abrir um restaurante, se algum tiver um, vai ser como tu dizes: alheira de caça, só mesmo de caça!, etc etc - apesar de um prego.... ser sempre um prego, claro!...
Isabel Santos
17 Novembro 2009 - 23h33m
Também estive no "espectáculo" dos séniores e, infelizmente, integrada no grupo. Subscrevo completamente a opinião de Christina e quero manifestar a minha indignação por um comportamento pouco apropriado a uma geração que foi educada em princípios de rigorosa disciplina e respeito. A explicação para a reacção violenta não está na linguagem mas na profunda ignorância que ainda caracteriza este povo. A ignorância é muitas vezes atrevida. Apenas duas notas: o espectáculo previsto não era este,mas a avaliar por comportamento idêntico dois dias antes com uma peça inofensiva, o resultado seria o mesmo; tal como eu,ainda houve apreciadores entre os séniores. Saí envergonhada e decidida a não voltar a participar em qualquer actividade pública com grupos destes. Felicito a equipa pela criatividade e a competência revelada na discussão do tema e na forma como desempenharam o seu trabalho com aquelas condições.
Christina
13 Novembro 2009 - 16h07m
Absolutamente indescritível o que se passou ontem a noite no Teatro São Luiz. O Inatel tinha comprado quase todos os lugares para grupos de "seniors" que chegaram ao Chiado em vários autocarros. Até aí nada de errado. completamente inaceitável foi o comportamento destas pessoas dentro do teatro. Ofendidos com a linguagem usada pelos actores começaram a gritar, vaiar, bater os pés, fazendo com que os actores tivessem que terminar o espectáculo pela metade. Aqueles poucos apreciadores de teatro - como nós - que não pertenciam ao grupo ficaram sem poder ver o resto. É certo que o teatro nos ofereceu bilhetes para outro dia (infelizmente nenhum compatível com a minha agenda). No entanto pergunto: quem são as pessoas que se julgam no direito de estragar o espetáculo para os outros, só porque não gostam? Talvez o Inatel devesse escolher com mais cuidado os espetáculos para os seus grupos seniors, pois o teatro avisava (num comunicado bem visível na bilheteira) que o espetáculo continha linguagem que poderia ser considerada ofensiva .
hugo
26 Outubro 2009 - 01h09m
Esta peça desperta imensa curiosidade , era espectacular se fizexem uma digressao pelo pais...
stqqssd
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    
 
BILHETEIRA
 
bilheteira@teatrosaoluiz.pt
Tel.  (+351) 213 257 650
Todos os dias, das 13h às 20h
Siga-nos no: facebook