TEATRO
23 – 25 fev

Democracy in America

De Romeo Castellucci
Sala Luis Miguel Cintra
Sexta e sábado, 21h: domingo, 17h30

Sinopse

Teatro – Estreia nacional
23 – 25 fev
DEMOCRACY IN AMERICA
Romeo Castellucci
Livremente inspirado na obra homónima de Alexis De Tocqueville De La Démocratie en Amérique (1835)
Sexta e sábado, 21h: domingo, 17h30
Sala Luis Miguel Cintra
A classificar pela CCE
€11 - €22 (com descontos €5 – €17,60)


24 fev
Conversa com equipa artística após o espetáculo

Democracy in America apresenta no título ressonâncias do seminal tratado teórico do diplomata francês Alexis de Tocqueville (1805-1859), o qual faz uma rigorosa anatomia das instituições civis norte-americanas de uma perspectiva europeia. Livremente inspirado na obra e tempo de Tocqueville, Romeo Castellucci transporta-nos para a vida comunitária dos puritanos e índios norte-americanos. Recorrendo a uma estratégia de palavras e imagens, procura esclarecer questões como a linguagem da comunicação, a religião e a noção de comunidade.
Os colonizadores do Novo Mundo formaram comunidades sujeitas a um rígido e austero sistema de regras ao jeito do Antigo Testamento, o qual, segundo de Tocqueville, é a base da democracia norte-americana. O igualitarismo e o dogmatismo religioso da Bíblia substituíram então a função democrática da cidade e a experiência da Tragédia, que, para Castellucci, constitui a forma mais elevada de autoconsciência pessoal e identidade política. No sistema de valores puritano, a reflexão e a dúvida são delitos passíveis de punição. Quem apresentar um comportamento aberrante é estigmatizado, tornando-se um marginal.
Romeo Castellucci coloca a mulher no centro do espetáculo, enquanto semente de dúvida que vem manchar a imaculada pureza puritana. A heroína, uma mulher branca, um elemento da comunidade, será a primeira a pôr em causa a providência divina e essas palavras de Deus «pede e ser-te-á dado»: a nova terra-mãe é estéril. Porém, os indígenas conhecem os segredos da natureza e da sua terra, como «aquela velha índia» que pôs o rio a correr ao contrário.
Democracy in America convida-nos a descobrir a alienação da própria natureza da linguagem e comunicação humanas, da fala humana, e logo das comunidades humanas. Seguindo uma trajetória retrógrada, Romeo Castellucci investiga as sementes do regime democrático moderno, muito antes de este ter crescido e alastrado por todo o mundo ocidental.
Eleni Papalexiou

Direção, cenografia, luz, figurinos: Romeo Castellucci; Textos: Claudia Castellucci e Romeo Castellucci; Música: Scott Gibbons; Com: Olivia Corsini, Giulia Perelli, Gloria Dorliguzzo, Evelin Facchini, Stefania Tansini, Sophia Danae Vorvila e doze dançarinos locais
Coreografia livremente inspirada em tradições folclóricas de Albânia, Grécia, Botswana, Inglaterra, Hungria, Sardenha; Intervenções coreográficas: Evelin Facchini, Gloria Dorliguzzo, Stefania Tansini, Sophia Danae Vorvila; Assistente de direção: Maria Vittoria Bellingeri; Maître répétiteur: Evelin Facchini; Esculturas cenográficas e máquinas: Istvan Zimmermann e Giovanna Amoroso; Confeção de figurinos: Grazia Bagnaresi; Calçado: Collectif d’Anvers; Contrarregra: Giuliana Rienzi; Assistentes de palco: Andrei Benchea, Pierantonio Bragagnolo; Técnicos de luz: Giacomo Gorini / Andrea Sanson; Técnico de som: Paolo Cillerai; Técnico de legendagem: Matteo Braglia; Guarda-roupa: Elisabetta Rizzo; Fotografia: Guido Mencari; Direcção técnica: Eugenio Resta; Equipa de produção técnica : Carmen Castellucci, Francesca Di Serio, Gionni Gardini, Daniele Magnani; Decorador: Silvano Santinelli, Director de produção: Benedetta Briglia; Divulgação e distribuição: Valentina Bertolino e Gilda Biasini; Assistente de produção: Giulia Colla; Gestão: Michela Medri, Elisa Bruno, Simona Barducci; Consultor económico: Massimiliano Coli; Produção executiva: Societas

Uma coprodução com: deSingel International Artcampus; Wiener Festwochen; Festival Printemps des Comédiens à Montpellier; National Taichung Theatre in Taichung, Taiwan; Holland Festival Amsterdam; Schaubühne-Berlin; MC93 - Maison de la Culture de Seine-Saint-Denis à Bobigny with Festival d’Automne à Paris; Le Manège - Scène nationale de Maubeuge; Teatro Arriaga Antzokia de Bilbao; Peak Performances Montclair State University (NJ-USA); Com a participação de: Théâtre de Vidy-Lausanne e Athens and Epidaurus Festival; A actividade de Societas é apoiada por: Ministero Beni e Attività Culturali, Regione Emilia Romagna, Comune di Cesena e São Luiz Teatro Municipal, Lisboa



Sinopse

Teatro – Estreia nacional
23 – 25 fev
DEMOCRACY IN AMERICA
Romeo Castellucci
Livremente inspirado na obra homónima de Alexis De Tocqueville De La Démocratie en Amérique (1835)
Sexta e sábado, 21h: domingo, 17h30
Sala Luis Miguel Cintra
A classificar pela CCE
€11 - €22 (com descontos €5 – €17,60)


24 fev
Conversa com equipa artística após o espetáculo

Democracy in America apresenta no título ressonâncias do seminal tratado teórico do diplomata francês Alexis de Tocqueville (1805-1859), o qual faz uma rigorosa anatomia das instituições civis norte-americanas de uma perspectiva europeia. Livremente inspirado na obra e tempo de Tocqueville, Romeo Castellucci transporta-nos para a vida comunitária dos puritanos e índios norte-americanos. Recorrendo a uma estratégia de palavras e imagens, procura esclarecer questões como a linguagem da comunicação, a religião e a noção de comunidade.
Os colonizadores do Novo Mundo formaram comunidades sujeitas a um rígido e austero sistema de regras ao jeito do Antigo Testamento, o qual, segundo de Tocqueville, é a base da democracia norte-americana. O igualitarismo e o dogmatismo religioso da Bíblia substituíram então a função democrática da cidade e a experiência da Tragédia, que, para Castellucci, constitui a forma mais elevada de autoconsciência pessoal e identidade política. No sistema de valores puritano, a reflexão e a dúvida são delitos passíveis de punição. Quem apresentar um comportamento aberrante é estigmatizado, tornando-se um marginal.
Romeo Castellucci coloca a mulher no centro do espetáculo, enquanto semente de dúvida que vem manchar a imaculada pureza puritana. A heroína, uma mulher branca, um elemento da comunidade, será a primeira a pôr em causa a providência divina e essas palavras de Deus «pede e ser-te-á dado»: a nova terra-mãe é estéril. Porém, os indígenas conhecem os segredos da natureza e da sua terra, como «aquela velha índia» que pôs o rio a correr ao contrário.
Democracy in America convida-nos a descobrir a alienação da própria natureza da linguagem e comunicação humanas, da fala humana, e logo das comunidades humanas. Seguindo uma trajetória retrógrada, Romeo Castellucci investiga as sementes do regime democrático moderno, muito antes de este ter crescido e alastrado por todo o mundo ocidental.
Eleni Papalexiou

Direção, cenografia, luz, figurinos: Romeo Castellucci; Textos: Claudia Castellucci e Romeo Castellucci; Música: Scott Gibbons; Com: Olivia Corsini, Giulia Perelli, Gloria Dorliguzzo, Evelin Facchini, Stefania Tansini, Sophia Danae Vorvila e doze dançarinos locais
Coreografia livremente inspirada em tradições folclóricas de Albânia, Grécia, Botswana, Inglaterra, Hungria, Sardenha; Intervenções coreográficas: Evelin Facchini, Gloria Dorliguzzo, Stefania Tansini, Sophia Danae Vorvila; Assistente de direção: Maria Vittoria Bellingeri; Maître répétiteur: Evelin Facchini; Esculturas cenográficas e máquinas: Istvan Zimmermann e Giovanna Amoroso; Confeção de figurinos: Grazia Bagnaresi; Calçado: Collectif d’Anvers; Contrarregra: Giuliana Rienzi; Assistentes de palco: Andrei Benchea, Pierantonio Bragagnolo; Técnicos de luz: Giacomo Gorini / Andrea Sanson; Técnico de som: Paolo Cillerai; Técnico de legendagem: Matteo Braglia; Guarda-roupa: Elisabetta Rizzo; Fotografia: Guido Mencari; Direcção técnica: Eugenio Resta; Equipa de produção técnica : Carmen Castellucci, Francesca Di Serio, Gionni Gardini, Daniele Magnani; Decorador: Silvano Santinelli, Director de produção: Benedetta Briglia; Divulgação e distribuição: Valentina Bertolino e Gilda Biasini; Assistente de produção: Giulia Colla; Gestão: Michela Medri, Elisa Bruno, Simona Barducci; Consultor económico: Massimiliano Coli; Produção executiva: Societas

Uma coprodução com: deSingel International Artcampus; Wiener Festwochen; Festival Printemps des Comédiens à Montpellier; National Taichung Theatre in Taichung, Taiwan; Holland Festival Amsterdam; Schaubühne-Berlin; MC93 - Maison de la Culture de Seine-Saint-Denis à Bobigny with Festival d’Automne à Paris; Le Manège - Scène nationale de Maubeuge; Teatro Arriaga Antzokia de Bilbao; Peak Performances Montclair State University (NJ-USA); Com a participação de: Théâtre de Vidy-Lausanne e Athens and Epidaurus Festival; A actividade de Societas é apoiada por: Ministero Beni e Attività Culturali, Regione Emilia Romagna, Comune di Cesena e São Luiz Teatro Municipal, Lisboa



Críticas

Não existem críticas.

Preçário

0

Descontos

50% 
Cartão Maria&Luiz
Menores de 30 Anos (1ª Plateia; Camarotes Centrais e 1º Balcão Central)
Maiores de 65 anos, pessoas com deficiência e acompanhante, desempregados,estudantes, profissionais do espetáculo, funcionários da CML e Empresas Municipais 

30% 
Grupos de 10 pessoas ou mais

20% 
Protocolos e acordos

€5
Menores de 30 Anos (2ª Plateia; Frisas; 2º Balcão e Camarotes de 2ª)

Nota: É favor fazer-se acompanhar de um documento que comprove o desconto à entrada.

Comentários

Não possui comentários. Envie o Seu !

stqqssd
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  
 
BILHETEIRA
 
bilheteira@teatrosaoluiz.pt
Tel.  (+351) 213 257 650
Todos os dias, das 13h às 20h
Siga-nos no: facebook