Saltar para o conteúdo principal Mapa do Website Ajuda de navegação e acessibilidade Web

Quinta-feira: Abracadabra

Sete Anos Sete Peças
Cláudia Dias
@Alípio Padilha
Datas e Horários

21 abril
quarta, 20h

 

Conversa com os criadores após o espetáculo

Local

Sala Mário Viegas

Duração

1h

Classificação

M/12

Descrição

Paz, pão, trabalho, educação querem dizer o quê, mais propriamente? Em Quinta-feira: Abracadabra, quarta criação do projeto Sete Anos Sete Peças, Cláudia Dias e Idoia Zabaleta dão novos usos a palavras gastas. Partem do zero para voltar a combinar com as pessoas presentes os significados mínimos de cada palavra. Paz, pão, trabalho, educação querem dizer o quê, mais propriamente? Demonstrando a verdadeira relação entre as coisas e as palavras, buscando os nomes ocultos da injustiça, da desigualdade e da opressão, as artistas procuram as palavras mágicas para mover corpos, e mundos. No final do espetáculo, convida-se o público para uma conversa com as criadoras.

No Teatro São Luiz, Cláudia Dias apresenta os cinco espetáculos do seu projeto Sete Anos Sete Peças, iniciado em 2016. Cada espetáculo, concebido com um parceiro ou parceira artística diferente, leva o nome de um dos dias da semana, seguido de um subtítulo, e faz a ligação entre artistas, pensadores, países e cidades, passado, futuro e presente, arte e ação política. O todo é maior que a soma das partes. Seguir cada peça e acompanhar a sequência é uma experiência diferente de ver cada uma delas, isolada ou alternadamente. Sete peças mais uma, essa formada pelo todo; ou ainda inúmeras outras, resultantes das várias combinações possíveis e da coleção particular que cada um queira e possa fazer. No São Luiz, os espetáculos complementam-se com um ciclo de conversas e uma oficina do ilustrador António Jorge Gonçalves, responsável pelo desenho e grafismo dos livros deste projeto.

 

Conversas Dias Úteis
Paralelamente à apresentação dos espetáculos, haverá conversas entre os vários criadores participantes e convidados, para debater as relações entre arte e debate político, arte e metodologias, arte e história, arte e exclusão, arte e escola, arte e tudo.

Ficha Técnica

Direção artística Cláudia Dias Artista convidada Idoia Zabaleta Intérpretes Cláudia Dias e Idoia Zabaleta Assistente artístico Karas Desenho de luz, Direção técnica e Cenografia Nuno Borda de Água Vídeo Bruno Canas Fotografia Alípio Padilha Música Fuego de Bomba Estéreo, Banho de Elza Soares, De Dentro do Ap de Bia Ferreira, Canción Total de Maria Arnal & Marcl Bages Acompanhamento crítico Jorge Louraço Figueira Produção Alkantara Coprodução Teatro Municipal do Porto e São Luiz Teatro Municipal, Moare Danza Coprodução de residência artística O Espaço do Tempo (artista associada) Difusão Something Great Residências artísticas e Apoio Azala, L’animal à l’esquena, O Espaço do Tempo Agradecimentos Mursego, María Arnal & Marcel Bagés, Helder Azinheirinha /// Alkantara é uma estrutura financiada por República Portuguesa | Cultura/ Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Lisboa e Azala y Moare Danza são estruturas financiadas pelo Departamento de Cultura do Governo Basco

VEJA TAMBÉM

Saltar controlos de slides