Saltar para o conteúdo principal Mapa do Website Ajuda de navegação e acessibilidade Web

São Luiz 126 anos

A Filha do Tambor-Mor
Este evento já decorreu
Datas e Horários

22 a 24 maio
sexta-feira a domingo

Local

aqui nesta página

Descrição

Celebre connosco os 126 anos do Teatro São Luiz. Veja ou reveja aqui A Filha do Tambor-Mor.

 

Neste dia 22 de maio de 2020, o Teatro São Luiz completa 126 anos de vida. Estamos de portas fechadas, sem programação, mas continuamos certos de que somos um lugar de encontro, indispensável. Neste teatro municipal, caberá sempre a cidade inteira, o país inteiro e também o mundo inteiro. Somos uma casa de teatro e também de dança, música, de muitas artes e de tantas e tantas histórias. Permaneceremos aqui com uma certeza: juntos, fazemos melhor. Juntos, somos mais Teatro.

Para celebrar os seus 126 anos, o Teatro São Luiz disponibiliza online, entre 22 e 24 de maio, A Filha do Tambor-Mor, estreado exatamente há um ano. O espetáculo fez a revisitação da opereta de Jacques Offenbach que inaugurou este Teatro, batizado de Theatro D. Amelia, a 22 de maio de 1894. Em palco, estiveram alunos de escolas artísticas de todo o país e profissionais selecionados através de audições, dirigidos pelo encenador António Pires e pelo diretor musical e maestro de orquestra Cesário Costa, a quem se juntaram Paulo Vassalo Lourenço como maestro do coro, Dino Alves nos figurinos, Aldara Bizarro no movimento e A Tarumba – Teatro de Marionetas na cenografia. Ao todo, foram cerca de 150 artistas envolvidos no espetáculo, que esgotou cinco récitas de entrada livre, sempre com interpretação em Língua Gestual Portuguesa e Audiodescrição.

Espreite, ainda, o making-of de todo o processo artístico aqui.

 

Juntos, somos mais teatro

A cultura é um valor fundamental nas nossas vidas e, por isso, depois destes dias de confinamento, não haverá incertezas na defesa desse princípio fundador da liberdade. Faremos, juntos, um caminho que nos devolva a casa os artistas e os públicos sem os quais este teatro são só paredes vazias.

O que temos para oferecer é o resultado de um compromisso com todos e cada um, técnicos, artistas e espectadores: Uma temporada preparada com o mesmo empenho e a mesma alegria que nos é característica, e onde ninguém ficou para trás.

Mas quero sublinhar isto: estamos e estaremos prontos para reforçar o coletivo e proteger cada um daqueles que vierem ter connosco. Temos consciência do impacto que algumas mudanças irão produzir nas artes da proximidade como o são as artes performativas. Serão vários os desafios a enfrentar mas nenhum deles nos faz vacilar quando afirmamos que estaremos prontos e em segurança.

É no coletivo que o desejo do teatro se converte em representação. É no indivíduo que ele se prolonga. As salas são cheias de indivíduos, não são só números. Abrimos porque vos queremos nossos cúmplices. E isso implica proteger todos e cada um.

No futuro próximo, os artistas continuarão a ser o nosso presente. Eles são o centro do nosso trabalho. Conscientes do momento que se atravessa, queremos que saibam que o São Luiz é o que tem sido por vossa causa e, por isso, estamos na linha da frente na defesa dos vossos direitos. Juntos, somos mais teatro. Juntos, saberemos olhar para estes tempos sem esconder que a fatalidade não se transforma em oportunidade ignorante. Muda-nos. E seremos, todos, melhores na mudança.

Aida Tavares, diretora artística do Teatro São Luiz

VEJA TAMBÉM

Saltar controlos de slides