Saltar para o conteúdo principal Mapa do Website Ajuda de navegação e acessibilidade Web

Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar

Sete Anos Sete Peças
Cláudia Dias
@Alípio Padilha
Datas e Horários

29 maio
sábado, 19h

 

Conversas com artistas e pessoas convidadas

Local

Sala Luis Miguel Cintra

Duração

2h (espetáculo + conversa)

Preço

€7

Classificação

M/12

Descrição

Na segunda criação do projeto Sete Anos Sete Peças, Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar, Cláudia Dias inspira-se no universo dos desenhos animados de Osvaldo Cavandoli. Em palco, com Luca Bellezze, constrói uma narrativa visual, usando uma linha para contar a história de um menino de dez anos, cujos avôs foram expulsos primeiro da Palestina e depois do Líbano, e que viaja da Síria até Itália. Num tempo em que estão na ordem do dia as linhas divisórias, as fronteiras, as barreiras, as linhas da frente e de mira dos conflitos bélicos, as fileiras e as linhas de identificação do drama dos refugiados, as linhas de respeito dos limites marítimos das nações, as linhas duras das fações radicais de organizações políticas e religiosas, Cláudia Dias e Luca Bellezze trabalham (n)uma linha unificadora, capaz de juntar o que se encontra separado.

No Teatro São Luiz, Cláudia Dias apresenta os cinco espetáculos do seu projeto Sete Anos Sete Peças, iniciado em 2016. Cada espetáculo, concebido com um parceiro ou parceira artística diferente, leva o nome de um dos dias da semana, seguido de um subtítulo, e faz a ligação entre artistas, pensadores, países e cidades, passado, futuro e presente, arte e ação política. O todo é maior que a soma das partes. Seguir cada peça e acompanhar a sequência é uma experiência diferente de ver cada uma delas, isolada ou alternadamente. Cinco peças mais uma, essa formada pelo todo; ou ainda inúmeras outras, resultantes das várias combinações possíveis e da coleção particular que cada um queira e possa fazer. No São Luiz, os espetáculos complementam-se com um ciclo de conversas e uma oficina do ilustrador António Jorge Gonçalves, responsável pelo desenho e grafismo dos livros deste projeto.

 

Conversas Dias Úteis – A arte da inocência

Moderadoras: Catarina Pires
Artista: Karas
Convidados: Sahad Wadi e Carlos Marques

Terça-feira conta a rota de um menino de dez anos, Omar, em direção ao Ocidente, numa narrativa que nos põe dentro da história e ao mesmo tempo nos coloca no nosso lugar, o de espectadores, mais ou menos passivos, mais ou menos cúmplices, mais ou menos solidários, mas sempre espectadores do que há décadas se passa no Médio Oriente. Quem ganha com este conflito? Qual o papel do Ocidente na sua perpetuação ou na sua resolução? Como podemos aceitar os campos de refugiados debaixo dos nossos olhos? Que caminho fazem e que lugar lhes é devido nos territórios onde procuram refúgio? Como dar-lhes uma voz e uma vida e como é que a arte pode fazê-los ouvir? Sobre tudo isto conversaremos com o artista Karas e pessoas convidadas.

O Teatro São Luiz informa que as conversas após espetáculos serão gravadas para posterior transmissão online.

FOLHA DE SALA

Ficha Técnica

Conceito e Direção artística Cláudia Dias     Artista convidado Luca Bellezze Texto Cláudia Dias Intérpretes Cláudia Dias e Luca Bellezze Assistência artística Karas Acompanhamento crítico Jorge Louraço Figueira Desenho de luz Thomas Walgrave Direção técnica Nuno Borda de Água Produção Alkantara Coprodução Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto Coprodução de residência artística O Espaço do Tempo (artista associada) Residências Artísticas Teatro Municipal do Porto, O Espaço do Tempo, Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro – Casa Amarela Agradecimentos Ângelo Alves, Anselmo Dias, Ilda Figueiredo, José Goulão, Jorge Cadima, Paulo Costa /// Cláudia Dias é artista associada do Espaço do Tempo /// Alkantara é uma estrutura financiada por República Portuguesa | Cultura / Direção-Geral das Artes

VEJA TAMBÉM

Saltar controlos de slides