Saltar para o conteúdo principal Mapa do Website Ajuda de navegação e acessibilidade Web

A RECONQUISTA DE OLIVENZA

Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo
Datas e Horários

6 a 16 fevereiro
quinta, 20h; sexta e sábado, 21h; domingo, 17h30

 

Conversa com os artistas após o espetáculo
16 fevereiro, domingo

Local

Sala Luis Miguel Cintra

Preço

€12 a €15 com descontos

Classificação

A classificar pela CCE

Acessibilidade
Língua Gestual Portuguesa Audiodescrição

16 fevereiro, domingo, 17h30

Descrição

O novo espetáculo que junta o dramaturgo e encenador Ricardo Neves-Neves e o pianista e compositor Filipe Raposo olha para a história de Olivenza, parcela alentejana do território português ocupada em 1801, por Espanha, com o apoio de França e cuja soberania espanhola não é ainda hoje reconhecida por Portugal. Servindo-se da antiga cultura monárquica ibérica, península reinada entre primos, A Reconquista de Olivenza é um exercício fantasioso sobre o Poder e a Política, a Guerra e quem nela participa, bem como a complexa teia de costumes, leis e crenças que ajudam a criar a nossa identidade, entre outras zarzuelas.
Mesmo após a assinatura do Tratado de Viena, em 1817, que obriga a restituição de Olivenza, Espanha continua a adiar a devolução daquela parcela do território e o Alentejo fica assim indeciso quanto à sua real dimensão. Se Portugal reivindica Olivença aos soluços, Espanha grita o direito sobre Gibraltar, o Rochedo que não é mais do que a última colónia na Europa, onde Inglaterra, a histórica aliada de Portugal, é soberana. E do lado de lá de Gibraltar está Ceuta, antiga cidade portuguesa e atual cidade espanhola, mas dentro do território de Marrocos.

 

Bilhetes à venda brevemente.

Ficha Técnica

Texto e Encenação Ricardo Neves-Neves Composição e orquestração Filipe Raposo Interpretação Ana Valentim, Bruno Huca, Catarina Rôlo Salgueiro, Diana Vaz, Joana Campelo, Márcia Cardoso, Nuno Nolasco, Rafael Gomes, Rita Cruz, Ruben Madureira, Samuel Alves, Sílvia Figueiredo, Sílvia Filipe, Sissi Martins, Susana Madeira, Tadeu Faustino, Tânia Alves; Teresa Coutinho e Vítor Oliveira Direção musical Cesário Costa Direção vocal João Henriques Sonoplastia Sérgio Delgado Desenho de luz José Álvaro Correia Cenografia a designar Figurinista Rafaela Mapril Caraterização e cabelos Cidália Espadinha Assistência de Encenação Diana Vaz e Rafael Gomes Comunicação e assessoria de imprensa Mafalda Simões Produção Nuno Pratas Coprodução Cine-Teatro Louletano, Teatro do Eléctrico e São Luiz Teatro Municipal

VEJA TAMBÉM

Saltar controlos de slides